quinta-feira, 14 de maio de 2009

"Tudo O Que Ele Sempre Quis", de Anita Shreve

Sinopse: Um casamento junta sempre duas histórias, dois passados. Esta constatação é talvez tardia para o marido de Etna: um homem cuja obsessão com a sua jovem mulher tem início no momento em que se conhecem – e em que ele a ajuda a escapar a um incêndio - e culmina numa união ensombrada por segredos, traição e pelo fogo avassalador de uma paixão não correspondida.Ao académico Nicholas Van Tassel bastou ver Etna Bliss uma única vez para saber que chegara o momento de abandonar a sua condição de solteirão inveterado. Mas a frieza física e emocional com que é brindado é um prenúncio de tragédia: Etna deseja liberdade e independência, Nicholas quer a jovem exclusivamente para si… E quando descobre que, ainda que tivesse conseguido casar com ela, não teria chegado sequer a conquistá-la, vai ser o lado mais sombrio da sua personalidade a decidir o que fazer a seguir.Escrito com a inteligência e a graça que são já habituais na autora, Tudo o que Ele Sempre Quis é uma arrepiante história sobre desejo, ciúme, perda e os perigos que o fogo – o figurativo e o literal – sempre arrasta consigo.

Não foi dos meus livros preferidos, mas acabou por ser uma leitura agradável, que sabe sempre bem antes de adormecer. Pela forma como está a sinopse, pensei que a descrição do ciúme e obcessão de Nicholas Van Tassel por Etna fosse mais impressionante, mas não foi nada de invulgar. No entanto, no final do livro fiquei com um pouco de "pena" de Nicholas e a pensar na sua história. É certo que ele é que devia ter controlado a sua obcessão, mas será que quando amamos alguém de verdade temos essa capacidade?? A questão fica em aberto...



Ana

1 comentário:

Marta disse...

É um livro muito bom, mas ficou um pouco aquém do que esperava. Fiquei maravilhada com dois dos livros que li da mesma autora, “A Praia do Destino” e “Luz na Neve” e por isso as expectativas que eu tinha para este também eram mais altas.

Boas Leituras.
Beijinho